Logo Liga das Noivas
Cantoneira Cantoneira Cantoneira Cantoneira
Siga-nos no Twitter da Liga das noivas Acesse o facebook da Liga das noivas
Boneca Liga das Noivas - Intimidade

Antes H1Quem casa…

Diz um antigo ditado que quem casa, quer casa. E isso é uma verdade absoluta. Mas, para alguns casais, o famoso ‘lar doce lar’ pode estar um pouco mais distante. E aí, a opção para depois do casamento é a casa dos pais do noivo ou da noiva. Mas como conciliar essa convivência? Como não prejudicar o casamento com tantas pessoas morando juntas? E por que alguns casais optam por essa maneira de morar?

Atualmente, com a alta de preços dos imóveis no Rio de Janeiro, muitos casais que já tinham planos para o casamento foram pegos de surpresa -especialmente os que não haviam comprado o imóvel ainda – na hora de resolver onde morar. Com cerimônia e festa pagos, o dinheiro não foi suficiente e a solução para o problema acabou sendo dividir a casa com pais e sogros.

Eliane Rodrigues e Alex Dias tiveram que ir para a casa dos pais dele assim que casaram. Com imóvel já comprado, a construtora atrasou a entrega e o jeito foi ficar no antigo quarto do noivo. “Alugar outro local, com o que já estávamos gastando com o nosso, era impossível. Os aluguéis no Rio estão absurdos. Então, preferimos colocar os móveis em um local que aluga espaço e ficar na casa dos meus sogros por um tempo. Combinamos de dividir algumas despesas, como luz, gás e mantimentos, e dividimos as tarefas com eles. A convivência tem sido ótima. Mas quando queremos ficar sozinhos, dormimos fora ou viajamos, já que não dá para ter tanta liberdade assim”, avalia Eliane.

Fabio Silva e Sandra Santos já optaram por morar no apartamento da mãe dela por escolha. “Queríamos casar, mas o dinheiro certamente não daria para tudo. Como minha mãe mora em uma cobertura duplex e sozinha, fizemos um acordo. Ficamos com o segundo andar e dividimos as despesas da casa, inclusive salário de empregada. Acredito que dê tão certo porque minha mãe nunca dá palpite no nosso dia a dia e por meu marido e ela se darem muito bem. Além disso, o fato de ter dois andares dá total privacidade para todos nós. Se fosse em apenas um andar, não sei se a convivência seria assim tão pacífica”, explica Sandra.

Seja por quem tem nessa a única opção ou por quem realmente quer dividir o dia a dia com sogros e pais, algumas regras devem ser seguidas a fim de manter a boa convivência. A seguir, sugerimos algumas:

1.       Antes de mudar, delimite com os donos da casa qual será sua contribuição, seja com dinheiro ou ajudando na arrumação;

2.       Não discuta com seu cônjuge na frente de seus pais ou sogros;

3.       Relações íntimas devem ser mantidas no seu espaço, não no espaço comum a todos;

4.       Se tiver alguma ideia para modificar a decoração ou hábitos da casa, converse antes com os donos. Ninguém gosta de alguém novo mexendo no que é seu;

5.       Ainda que o acordado seja, por exemplo, você não fazer comida, ofereça ajuda. É de bom tom e mostra gratidão pelo espaço que as pessoas estão abrindo em suas casas;

6.       Se optar por ter filhos ou animais, converse antes com os donos da casa. Nem todos gostam de crianças ou bichos pela casa;

7.       Nunca, jamais, se meta em discussões dos donos da casa. Lembre-se: ainda que more com eles, vocês são hóspedes temporários.

No mais, siga as regras de boa convivência como em qualquer local e pessoas. Afinal, educação e gentileza nunca são demais.

 

Compartilhe:

Deixe seu comentário

Deixe o seu Comentário

Seu email nunca será publicado Campos marcado com * devem ser preenchidos

*
*