Logo Liga das Noivas
Cantoneira Cantoneira Cantoneira Cantoneira
Siga-nos no Twitter da Liga das noivas Acesse o facebook da Liga das noivas
Boneca Liga das Noivas - Casa

Antes H1Hortinha de temperos em casa

Quem casa quer casa e uma cozinha repleta de temperos deliciosos para fazer comidinhas incríveis, né? Mesmo, que o casal não seja muito de tarefas domésticas e que essa vontade perdure apenas pelo primeiro mês do casamento, é muito atrativo poder escolher os temperos – livres de agrotóxicos- do seu prato favorito sem sair de casa.

Por isso, ter uma hortinha de temperos na janela ou na varanda de casa é uma ótima dica para dar um charme extra na decoração da casa nova.

Com as dicas das melhores espécies para cultivar em casa, não tem erro. A paisagista Beatriz de Santiago sugere alguns cuidados para facilitar o cultivo em seu apartamento.

Em primeiro lugar, é necessário ter, no mínimo, 2 horas de sol todos os dias. Se você tiver uma varandinha com espaço, o plantio pode ser feito em jardineiras ou vasinhos com uma boa drenagem para não acumular muita água.

Mas se você não tiver espaço, a dica é montar uma hortinha vertical de temperos com vasinhos pendurados na parede, é só colocar um pouco de terra por baixo e plantar os temperos. Fica lindo e não vai ocupar espaço!

A rega deve ser realizada de forma diária, mas sem exageros.

Os melhores temperos para o cultivo são: Alecrim, hortelã, manjericão, orégano, tomilho, coentro e o salsão.

Os vasos podem ser de qualquer tamanho, dependendo da área destinada para os temperos, pequenos, médios ou grandes. Também podem ser montadas em jardineiras, mas é importante separar bem as ervinhas, já que cada uma requer um cuidado especial. Neste caso, é importante fazer uma boa drenagem nos vasos, que deve ser feita com pedrinhas no fundo.

O sol é um fator importante para uma hortinha saudável. O aconselhável é ter, no mínimo, 2 horas de sol diariamente. E os temperos precisam ser regados todos os dias, sempre no início da manhã ou no final da tarde, nunca do meio do dia quando o sol é mais forte. “Sempre em horários mais amenos”, destaca Beatriz. E A quantidade de água tem que ser medida conforme o tamanho dos vasos.

Saiba mais sobre os melhores temperos:

Manjericão: prefere temperaturas mais altas ou, pelo menos, amenas. É bom se informar sobre as peculiaridades dos diferentes tipos. O manjericão roxo, por exemplo, não gosta de muito sol. É ótimo para acompanhar pratos da cozinha italiana, como pizzas e molhos para massas.

Alecrim: como é uma planta muito resistente, é ideal para quem não tem muito tempo para cuidar da horta. Adaptado a climas mais quentes e secos, pode passar até três dias sem ser regado. É ideal para temperar carnes, especialmente peixe e frango.

Salsão: resiste bem ao inverno e precisa ser regada diariamente para se desenvolver. Usada em sopas, saladas, omeletes e sanduíches.

Hortelã: como as raízes são mais profundas que as das demais ervas, deve-se sempre plantá-la sozinha em um vaso, para não prejudicar o desenvolvimento das outras plantas. Bastante apreciada pela culinária árabe, vai bem em assados e grelhados e pode ser usada na decoração de pratos e no preparo de chás.

Orégano: se adapta bem em vários ambientes e exige pouca água para se desenvolver. Conhecido por seu uso em pizzas, o orégano também pode ser utilizado em molhos e assados.

Pimenta: resistente, é uma planta que gosta de espaço para se desenvolver. Vale a pena plantá-la sozinha na floreira, para que consiga crescer rapidamente. Com seu sabor picante, vai bem em molhos, conservas e temperos.

Sálvia: resiste bem às baixas temperaturas, então se dá bem no inverno. É ideal para quem não tem muito tempo para cuidar, porque pode ser regada a cada dois dias. É usada principalmente para a decoração de pratos e para temperar carnes mais gordurosas, como carne de caça.

Tomilho: é do tipo que não gosta de muita água e pode ser regado a cada dois dias. Uma dica importante: quanto menor a umidade no vaso, mais cheiroso o tomilho fica. Usado principalmente em ensopados e molhos à base de vinho.

 

Confira os erros mais comuns:

Esquecer de regar, exagerar no volume de água e deixar em local sombreado.

Plantar várias ervinhas diferentes no mesmo vaso ou jardineira.

Não preparar a drenagem dos vasos.

Não retirar as ervas daninhas.

Não adubar.

 

Compartilhe:

Deixe seu comentário

Deixe o seu Comentário

Seu email nunca será publicado Campos marcado com * devem ser preenchidos

*
*